Nossos Vídeos

Loading...

Lider do Ministério de Dança - Evelin Estrada

31 de jul de 2010

Ensaios

Começamos nossos ensaios de teatro, dança e louvor para o próximo aniversário de nossa Igreja, 10ANOS , ALELUIAAAAAAAAAAAAAA, será dia 02/10/2010, breve mais informações e fotos de nossos ensaios

Ficam na Paz
Deus abençoe você

Evelin Estrada

QUALIDADES PARA LIDERAR UM MINISTÉRIO DE DANÇA


O tema dança, esteve durante muito tempo fora do contexto das igrejas evangélicas. A associação entre dança e a adoração a Deus só era feita, quando se citavam os textos clássicos sobre o tema. Como exemplo podemos citar a dança do rei Davi diante da presença de Deus e também o texto da dança da profetiza Miriã com as mulheres, após a travessia do mar vermelho. Todos admiravam o fato do Rei Davi ter dançado movido pelo Espírito levando a arca da aliança, que simbolizava a presença de Deus, porém, era como se esta realidade estivesse longe do atual contexto da Igreja. Pouco se ousava falar sobre o assunto. Nos últimos quinze anos esta realidade mudou muito. Nós como igreja temos descoberto que esta forma de louvar e adorar a Deus está disponível a todos nós, pois assim nos entregamos a Ele de todo o coração, de toda a alma, de todo o entendimento e com toda a sua força.

Uma grande quantidade de grupos de dança tem surgido no meio das igrejas evangélicas, utilizando um tipo de dança que leva a congregação a se expressar diante de Deus de forma livre ou dirigida, se curvando, aplaudindo, saltando, levantando as mãos, enfim, dançando. A dança tem se tornado, no culto, tão importante quanto a música para louvar e adorar a Deus, expressar os sentimentos, pensamentos e para representar cenas bíblicas. São ministrações cheias de significado, utilizando-se de símbolos formados através dos próprios movimentos acrescidos de objetos significativos como bandeiras, estandartes, vasos de barro e etc. A direção do louvor com danças deve, assim como a direção do louvor com músicas, respeitar alguns princípios para que o ministério possa fluir de forma abundante. Gostaria de citar então, algumas qualidades que o dirigente de um grupo de louvor e adoração com danças deve buscar:

1- Ter um chamado de Deus para o ministério
A pessoa que irá assumir a direção do louvor com danças, deve ser alguém chamado por Deus para trabalhar nesta área. Não pode simplesmente ser alguém que goste ou tenha habilidade para dançar. Muitos líderes procuram aqueles que têm habilidade, mas se esquecem do chamado e acabam colocando a pessoa em uma posição em que não deveria estar. Estar no centro do propósito de Deus para as nossas vidas é um dos princípios básicos para termos um ministério ungido. A liderança da igreja deve orar por alguém que possua ambas qualidades: o chamado e a habilidade. “Eis que chamei pelo nome a Bezalel... e o enchi do Espírito de Deus, de habilidade, de inteligência e de conhecimento, em todo artifício...” Ex 31: 1,3

2-Ter habilidades para o ministério
O dirigente de adoração com danças, deve ser alguém que também possua habilidades naturais na área da dança e que seja alguém disposto a desenvolver estas habilidades. O grupo precisa ter ensaios regulares onde estarão desenvolvendo técnicas corporais na área da dança. Para tal, é necessário que orem para que Deus levante profissionais da área que se disponham a ensinar e treinar o grupo.

3-Precisa ser um adorador
A adoração que é feita junto com a congregação deve ser a extensão da vida de adoração que cada crente deve ter na sua intimidade com Deus. O dirigente de louvor com danças deve então, em seu momento a sós com Deus, ministrar diante dEle dançando. Desta forma, sua ministração junto à congregação, não será uma representação, mas uma realidade de vida que poderá realmente trazer o mover de Deus. Uma pessoa que dança em louvor e adoração somente quando existem pessoas olhando, deve questionar se sua dança realmente está sendo direcionada a Deus ou às pessoas.

4-Ter maturidade espiritual
Ter um caráter de adorador, é um princípio que nos habilita a trabalhar em toda e qualquer área dentro da Igreja. Consiste em ter uma vida de santidade, de entrega e renúncia diante de Deus, além de um coração humilde, submisso e ensinável. Quantas vezes recebemos reclamações de líderes, dizendo que o grupo de dança é insubmisso, não se envolvem nas demais atividades da igreja e não se deixam tratar. É por esta razão que muitos líderes nas igrejas fecham o coração para os grupos de dança, pois estes muitas vezes não dão testemunho, não possuem caráter aprovado, enfim não se comportam como ministros. Pessoas imaturas ou novas na fé, não devem fazer parte do ministério com danças. O líder como os demais, deve então ser exemplo em maturidade e caráter, para que o ministério cumpra seu propósito.

5- Sensibilidade espiritual
A sensibilidade Espiritual é algo fundamental para o líder de louvor e adoração com danças. Deve-se buscar em oração antes da ministração, qual é a direção de Deus para aquele momento. Às vezes o Espírito nos dirige a ministrar com bandeiras profetizando às nações, em outros momentos o Senhor nos dirige em relação ao o que dançar e como fazê-lo. É necessário que o dirigente entenda que através da dança nós oramos, intercedemos, profetizamos, louvamos e adoramos. Tudo isto tem que ser feito debaixo de uma direção de Deus e para isto é necessário ter sensibilidade.

6- Preparo em oração
É fundamental que antes de uma ministração, a equipe ganhe tempo em oração diante de Deus. Se lavando diante de Deus, se consagrando, profetizando e buscando direção para aquele momento. Infelizmente, ainda vemos grupos que chegam ao culto em cima da hora da ministração, outros que gastam horas com a arrumação das roupas, do cabelo, da maquiagem e ficam somente alguns poucos minutos orando. Penso sim que devemos ser excelentes nas vestimentas e na forma de nos apresentarmos diante de Deus, mas devemos nos lembrar que esta excelência deve ser também de coração, nos apresentando pra Deus em santidade e intenso desejo da presença dEle. Um dia um pastor amigo, me disse uma frase que jamais vou esquecer. Ele disse que no louvor e adoração com danças, Deus não vê dança, vê corações, semelhantemente no louvor e adoração com música Deus não ouve música, ouve corações. Nossos corações devem então estar limpos e adornados para que o nosso louvor e adoração cheguem ao coração de Deus.

7- Estar em sintonia com o dirigente de Louvor com música
Para que haja ordem no culto, o dirigente de louvor com danças, deve estar em sintonia com o dirigente de louvor com música. Deve estar atento para direções como: Vamos nos curvar diante de Deus, Vamos aplaudir ao Senhor, Vamos nos aquietar... É muito estranho quando o dirigente de louvor dá uma direção, toda a congregação o segue menos a equipe de dança. Isto pode chegar a acontecer por falta de atenção ou mesmo orientação. Do mesmo modo acontece o oposto, o dirigente da dança pode ter uma direção de Deus e o dirigente da música deve ter sensibilidade para o seguir. Uma pessoa madura espiritualmente sabe estar em adoração e ao mesmo tempo estar ciente de tudo o que está acontecendo ao seu redor. O dirigente da dança e o dirigente da música devem andar em sintonia, para que a congregação tenha segurança de que todos estão caminhando para um mesmo objetivo em unidade de coração.

Todas estas orientações sobre as qualidades do dirigente de louvor e adoração com danças poderão ser uma benção, se seguidas com alegria, humildade e com a consciência de que o Espírito Santo deve ter total liberdade para ministrar como lhe apraz no meio da congregação. Lembrando, porém, que a liberdade no Espírito é condicionada à uma vida de santidade e submissão, a exemplo de Jesus. Que Deus te abençoe!

Pra. Luciana Pinheiro Torres

Fonte: http://www.diantedotrono.com.br/ministerios_amigos/lst_materia.asp?nCodMateria=1138

11 de jul de 2010

Uma dança incompreendida

Uma dança incompreendida
Graça e Paz amados levitas da dança,

Estou muito feliz de poder estar postando mais um tema para que todos nós possamos ser aperfeiçoados e edificados através de experiências e principalmente da palavra de Deus. Recebi uma benção esses dias, estou trabalhando e muito feliz com esse novo emprego, Deus tem me honrado e breve poderei dar continuidade em alguns projetos, projetos esses que compartilhei com vocês em outras postagens.

Faz um tempo que não publico nada aqui no blog, sendo que postei diversos temas futuros a serem postados aqui. O que acontece é que nada se faz por minha ou nossa vontade, tudo se faz pela vontade de Deus, que é boa, perfeita e agradável. Lendo um artigo sobre a dança no Brasil e também vivenciando experiências com a dança em minha própria igreja e em outros lugares, me percebi no seguinte questionamento: Se dançamos uma dança PROFÉTICA, por que motivo tem que haver um ato profético no meio desta dança, já não basta os movimentos proféticos? Se acredito que Deus age através dos meus movimentos para curar, libertar, não tem necessidade de expressar isso falando ou mistificando as minhas ministrações.

A igreja está mal acostumada com equipes de dança que CAUSAM e quando chega aquela que não faz a igreja entrar no MISTÉRIO então a adoração não é válida ou segundo eles: esse grupo não tem muita unção. O rei Davi disse que não daria ao Senhor aquilo que não lhe custasse nada, no entando vemos muitos oferecendo uma dança ao Senhor que não lhe custa sacrifício, montando coisas sem sentido e que assustam até mesmo ao Espírito Santo.

Qual o sacrifício que devo fazer para que a minha dança seja recebida por Deus?

O sacrifício é justamente se organizar para que tudo saia com perfeição, nada que não é bem planejado consegue ter êxito. Não estou falando somente de ensaiar mas de se preparar espiritualmente para qualquer evento, se bem que o cristão deve estar sempre numa intensa busca por Deus.

Partindo do seguinte pensamento, eu sou levado a acreditar que muitas pessoas dançam, mais não conhecem seus próprios movimentos, não conhece a possibilidade de realizar movimentos, e se essa pessoa desconhece isso, que dirá os movimentos proféticos. Não vejo a necessidade da execução de um ato profético no meio de uma dança cujo objetivo é suprir a necessidade da igreja. Não quero deixar aqui nenhum pré-conceito a realização de atos proféticos na igreja, porém quero deixar minha revolta contra pessoas que usam atos proféticos para preencher uma lacuna na coreografia. Eu quase nunca faço ato profético de fato, pois eu tenho a convicção de que a minha dança já é um ato profético, então não vejo a necessidade de realizar o mesmo, a menos que seja direcionado antecipadamente por Deus.

Devemos ter ousadia quando estamos dançando, você já deve ter visto coreografias onde alguém entra vestido de branco simbolizando o Espírito Santo, e fico me perguntando: O que o Espírito Santo acha disso? Não seria algo inovador se isso fosse feio com o próprio Espírito Santo? Ele está aqui para nos ajudar, mas as pessoas gostam de fazer o que é óbvio. Inovar dá muito trabalho, então o óbvio é mais fácil.

Diferente do que muitas coreografias causam por ai, o papel da dança na igreja é transmitir harmonia, graça, leveza, amor, paz e beleza...
Semana passada fui participar de um festival de dança, dancei pela EDNI - Escola de Dança de Nova Iguaçu - Fiquei emocionado várias vezes com bailarinas lindas, que conseguiram através dos movimentos me transmitir o sentimento da situação que ela estava vivendo no palco. Seria tão bom se tivessemos ministros de dança assim, ministros que não causassem espanto ao dançar, ministros que transmitissem o amor de Deus ao dançar.

Se o que a palavra é o que nos fortifica, então posso concluir que temos que dançar a palavra.

Eu não sei porque razão a algumas pessoas estão tendo uma tendência errônea de mistificar a dança, quando na verdade a dança é uma arte tão simplórea. Alguns têm a idéia de que a dança tem que CAUSAR, se não tiver RÉ-TÉ-TÉ não valeu. Gente vamos parar com isso a dança não foi feita para causar e sim para trazer a consciencia das pessoas o amor de Deus. Infelizmente, a igreja é facilmente manipulada, se sobe um fulano que se diz Pastor e começa a dar uns gritos, a igreja já fica eufórica, mas quando chega no momento da adversidade o grito não os fazem permanecer de pé, a euforia acaba. O que nos faz permanecer firmes nos dias de guerra é a PALAVRA DE DEUS.

A dança deve ser:

* Informativa
Toda dança precisa informar algo seja ela cristã ou não. Como nas festas bíblicas que fazemos o principal objetivo é informar a volta de Jesus.

* Explicativa
As vezes tem passagens na bíblia ou eventos futuros que lendo não conseguimos entender mais assitindo a uma apresentação podemos receber de Deus uma mensagem clara e esclarecedora.

* Objetiva e Clara
Uma dança sem objetivo é uma dança vazia, e justamente por ter esse objetivo é que ela se torna profética e o caminho que você programa para chegar a esse objetivo deve ser o mais claro possivel, de forma que a igreja entenda. Uma coreografia bem feita nõ tem necessidade de narrador, pois a perfeição de um grupo de fatores (cenografia, iluminação, figurino, coreografia) faz com que a mensagem seja identificada perfeitamente pelo público.

* Um momentos de fruição de unção
Uma equipe terá a convicção de que está fazendo um bom trabalho quando sem falar uma palavra ela consegue trazer o ceu para a terra, de forma simples e sem os exageros que muitas vezes acontece. Forçar a barra é algo que nunca devemos fazer. Devemos nos prender em passar a mensagem, se a igreja está rodopiando, sapateando, recebendo cura e libertação, isso se dá pela mensagem e vontade de Deus, não por uma imposição de comandos.

* Harmônica e Bela
Sem dúvida alguma harmonia e beleza devem acompanhar toda e qualquer equipe, devemos nos preocupar com a estética da coreografia e dos bailarinos que estão ministrando ao Senhor. Existem ministros que dançam sem maquiagem, com as vestes sujas, amarrotadas, rasgadas e querem quem as pessoas não critiquem. Impossível! Na minha opinião uma pessoa que presa pelo seu ministério (dança) deve adicionar ao seu vestuário ao menos duas vestes novas por ano. Sapatilhas devem ser trocadas, maquiagens repostas e adereços restaurados. É maravilhoso ver o que é belo.

* Prazerosa de se dançar e Expressiva
A expressão é algo importantíssimo para qualquer bailarino, e saber expressar o que o que se vivencia no palco ajuda a embelezar ainda mais a estética do balé. Quando se está seguro para dançar, dança-se sorrindo, quando se está inseguro, dança-se com cara de parede. Que cara tem uma parede? Nenhuma. A expressividade deve ser trabalhados em todas as pessoas, sejam bailarinos ou não. Pessoas que dançam olhando pro chão, ou dança de costas para a igreja, ou de olhos fechados o tempo todo. Dançar uma música de júbilo com os movimentos certos é muito bom, e quando se expressa a alegria fica melhor ainda. Tem gente que acha que se expressar é só sorrir, mas ao contrário do que pensam, se expressar é chorar, sofrer, padecer e etc. Tudo isso deve ser observado e trabalhado.

* Reflexo da majestade e gradeza de Deus
Se somos templo do Espírito Santo e se somos parte do compo de Cristo, somos um pedaço do céu na terra, então devemos agir como tal. Pense em um rei ventido de trapos, você acreditaria que essa pessoa é um rei? Se somos templo, membros do corpo e filhos de Deus, devemos andar como filhos e dançar como filhos, então ai vai um alô para os investimentos feitos nos cenários e iluminação e figurinos. Investimento é fundamental para o sucesso de qualquer área.

* Inovadora
Em 2009 eu vi uma frase muito bacana: INOVE EM 2009. E será que temos inovados no reino de Deus? O carnaval no rio de Janeiro está cada vez mais lindo, partindo da visão artística. Todo ano eles montam diversas alegorias e toda lindas e diferentes da dos anos anteriores. Agora na igreja queremos fazer sempre os mesmos passos, o mesmos figurinos, as mesmas idéias. Deus é o criador da arte, ele é a nossa fonte de inspiração, se você buscar, Deus vai te dar montagens maiores do que você sonhou ou imaginou. Deus, o artístas supremo.

Dança espontânea ou instantânea?

Ao ver muitas pessoas dançando fico apavorado com as caras e bocas que são passadas para a platéia. A dança espontânea ela é dada pelo Espírito Santo, num momento de busca intensa, sendo assim, essas maluquisses que vemos nos cultos por ai, é pura invenção do ser humano. Eu creio que Deus não quer que eu passe vergonha diante da igreja, então, aquelas danças malucas sem sentido algum eu tenho que entender como uma invenção da mente de uma pessoa que acha que está sendo guiada por Deus. Se ser guiado na dança pelo Espírito Santo é fazer macaquisses para a igreja rir e não entender, eu não quero isso pra minha vida. Se eu sou o canla as pessoas tem que entender tudo o que faço. Seria como falar alemão para uma platéia de brasileiros, o que eles iriam entender? o que iriam receber? Ninguém concorda com o que não entende. Então a dança, seja ela em que modalidade for, em que nível for, precisa ser uma dança explicativa. Como ouvirão se não há quem pregue e como entenderão se não falam a mesma língua?

ENROLATION
O que esperar de uma coreografia montada em menos de 24 horas? Eu sinceramente não espero muita coisa, e pra falar a verdade eu não espero nada. Que preparo houve? Na hora H o que vai pro altar é pura enrolação e nada mais. E o pior é que tem gente que se acha o tal por montar uma coreografia em tão pouco tempo. Eu já fiz isso, (não sou perfeito) e confesso que o resultado foi catastrófico e desagradável tanto para mim quanto para o Espírito Santo e a Igreja, hoje pra mim, coreografia tem que ser montada com no mínimo um mês de antecedência, isso se for uma coreografia fácil, você pode estar entranhando o tempo, mas o resultado será bem mais satisfatório. Coreografia espontânea com um mundo de gente no palco fica uma bagunça. Oraganização é um princípio!

DIGA NÃO AO ENROLATION NA HORA DO CULTO. DIGA SIM PARA COREOGRAFIAS COM CONTEÚDO.

Espero que tenham gostado dessa postagem e que Deus possa abençoar ainda mais a sua vida.

Até a próxima postagem! Graça e Paz!

Leonardo Ribeiro

10 de jul de 2010

VIVENDO DIAS COMUNS

“Eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos”
Mateus 28:20

Nem sempre os nossos dias são feitos de eventos e situações empolgantes. Na verdade a maioria deles é feitos de rotinas, responsabilidades e preocupações comuns à vida humana. É normal que essas coisas ofusquem a alegria e o viço da vida. A Bíblia nos conta histórias fascinantes de homens e mulheres usados por Deus de uma forma sobrenatural para cumprir um propósito, mas essas histórias aconteceram em um determinado momento da vida dessas pessoas. O que será que acontecia, nos outros dias em que a Bíblia não relata? Será que entre as muitas revelações e situações de tirar o fôlego que Paulo viveu não havia a exaustão e a preocupação com seus negócios (fazer tendas)? Será que Davi não tinha dias de tédio e desinteresse em meio as suas funções reais? Somos tentados a achar que a vida de grandes homens e mulheres do passado e do presente eram ou são cheios de vivências arrebatadoras, mas acredito que todos vivem mais tempo em meio a uma viver comum do que na adrenalina das grandes aventuras.
Todos os dias podem se tornar especiais se aprendermos a estar contentes e satisfeitos com as coisas comuns sabendo que Deus está sempre presente. Entre as realizações das grandes promessas de Deus para nós, vem um período longo de conviver com o que é ordinário e trivial, mas nem por isso deixa de ser bom. O extraordinário está em enxergar Deus agindo e interagindo na simplicidade do ser.
Da próxima vez que for a padaria desfrute da sensação de poder prover para sua família um alimento gostoso que não faltou naquele dia e que vai te proporcionar um momento único ao redor de uma mesa com aqueles que você ama. Isso também é maravilhosamente empolgante.

“O segredo do contentamento é achar graça naquilo que aparentemente não tem graça nenhuma”

Confissão: Este é o dia que fez o SENHOR; regozijemo-nos, e alegremo-nos nele. Salmos 118:24

Felipe Toller

3 de jul de 2010

BORBOLETAS

Semana passada, ao esperar o ônibus no ponto levei um susto ao sentir que tinha alguma coisa em minhas costas. Quando me virei, o bicho saiu voando e vi que era uma borboleta. Naquela mesma semana estava no meu quarto à noite e minha janela estava aberta por causa do calor que tem feito nos últimos dias. Levei um grande susto (sou meio medrosa com insetos) ao ver que tinha entrado pela minha janela e pousado no travesseiro onde eu estava deitada, uma grande borboleta, que por sinal, tinha asas muito belas e coloridas, mas suas asas estavam um pouco tortas. Logo me levantei e percebi que estava com dificuldade para voar. Ela estava em um processo, estava saindo do casulo. Minha mãe se levantou e veio ao meu quarto ver o que estava acontecendo, não foi exagero, a borboleta era muito grande. Depois de algum tempo minha mãe conseguiu colocá-la para fora. Ufa! [RS] Percebi que Deus queria falar comigo. E como Ele falou ao meu coração. Deus é lindo e fala conosco de várias formas!
A borboleta passa por várias fases de transformação, as mudanças são dramáticas do ovo até a forma adulta. Ao olhar para uma bela borboleta voando nem pensamos que ela já foi uma lagarta. Fico imaginando a lagarta temendo ao que irá acontecer adiante. Será que ela olha para as borboletas voando e pensa que nunca conseguirá voar? Será que ela acha que não nasceu para isso? Mas chegará um dia em que será necessário passar por toda esta fase. A pupa ou crisálida se forma através do endurecimento do corpo da lagarta, esta capa é a sua proteção. Quando está neste casulo os seus órgãos estão passando por uma metamorfose, estão se transformando em órgãos adultos. Imagino que a fase mais difícil é a fase final, quando a borboleta precisa sair do casulo, tem que haver muito esforço, através desse esforço é que suas asas são formadas. Engraçado é que se alguém tentar ajudá-la a sair, poderá estragar tudo e a borboleta terá as suas asas deformadas e nunca poderá voar. Foi exatamente nesta fase que a borboleta me visitou.
E nós cristão? Sabemos que um dia fomos chamados para voar como uma borboleta, mas as vezes assistimos a vida alheia e vemos todos ao nosso redor voando, mas não nos esforçamos para sair do casulo, não é mesmo? Se ficarmos parados olhando e pensando nos momentos difíceis da vida, viveremos a lagartear pelo resto dos nossos dias. A palavra nos diz assim em João 13;3: “SABENDO este que o Pai tudo confiara às suas mãos, e que ele viera de Deus, e voltava para Deus.”
Jesus sabia de onde viera e para onde iria, além disso, conhecia o porquê de estar aqui nesta terra. O foco de Jesus não era a cruz, o sofrimento, Ele sabia que precisava passar por aquele momento, mas que voltaria para Deus. Nós devemos entender que o nosso foco não são os momentos difíceis, temos dentro de nós a Verdade para cumprirmos o nosso chamado. Existe um preço a ser pago para ser livre. Se quisermos voar, passaremos por momentos difíceis, onde teremos que nos esforçar, às vezes algumas decepções irão nos fazer crescer e nos transformarão em adultos cristãos.
“Por isso, não desanimamos; pelo contrário, mesmo que o nosso homem exterior se corrompa, contudo, o nosso homem interior se renova de dia em dia. Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós eterno peso de glória, acima de toda comparação, não atentando nós para as coisas que se vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são eternas.” (2 Coríntios: 4:16)
Ao se debater com um obstáculo se esforce para ser aprovado diante de Deus. Depois, prepare-se para “voar”!

Renata Pales

Renata além de fazer parte da Cia. Mudança e da Cia. Adorarte é professora da escola de dança ARCA dos nossos queridos André e Adriana, que também são do Mudança.
Essa escola vem se consolidando como referência para a preparação de jovens cristãos na dança, com uma grande variedade de estilos e excelente equipe que trabalha com muito amor e profissionalismo.

Para quem se interessar, segue abaixo mais informações.

http://arca-ciadasartes.blogspot.com