Nossos Vídeos

Loading...

Lider do Ministério de Dança - Evelin Estrada

31 de out de 2010

TAO SIMPLES, TAO DIFICIL

Como são as coisa né...
As vezes ficamos tentando " achar" o que fazer para agradar a Deus, quando na verdade o que ele nos pede é muito simples...
Ele não está interessado em nossos dons e talentos ou então com o que nos temos para oferecer a ele
(as vezes somos capazes de pensar que por que temos alguma habilidade podemos impressiona-lo).

Mas a bíbilia nos fala em Salmos 51:17

Os sacrifícios que agradam a Deus são um Espirito quebrantado; um coração quebrantado e contrito, ó Deus não desprezarás.

Como poderemos ter esse Espirito quebrantado?
Nos achegando a Deus, deixando tudo de lado e colocando o nosso tempo com ele como prioridade. Jesus já rasgou o véu que nos separava da presençado Pai, hoje temos livre acesso ao trono do Deus altíssimo e na maioria das vezes não damos a devida importância a isso.
Só temos que nos aproximar de Deus e assim ele se aproximará de nós e então seremos cheios do Espirito Santo e faremos maravilhas no poder que há no nome de Jesus, pregaremos o evangelho com ousadia, por que saberemos o quanto isso é importante para o nosso Deus.
E junto com tudo isso receberemos as maravilhas do sobrenautral de Deus. Sem termos como principal objetivo as coisas desse mundo, nada de mais não , mas o básico para uma vida saudavel.

Ele diz:Busquem em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça e todas essas coisas lhe serão acresentadas Mateus 7:33

Meu desejo é que cada dia mais eu possa me esvaziar de mim e assim o Espirito Santo de Deus possa ocupar todo o espaço, e fazer de mim um vaso que a cada dia esta sendo aperfeiçoado para a sua glória!

Estou lendo um livro: Tu és fiel Senhor! Confiando no Deus do impossível

E tem uma parte que a autora escreve: Talento não é o mais importante. Todo o talento do mundo não realizará nada espiritualmente significativo se não vier de um coração que esteja verdadeiramente entregue a Deus.

É a mais pura verdade.
Por isso clamo ao Senhor para que meu coração possa estar totalmente entregue a Ele, e que ele possa me ensinar a vencer a minha carne, pra que eu possa estar com o coração aberto e disponível pra tudo o que o senhor tiver pra mim, não quero impedir o Senhor de agir na minha vida.
Quebra tudo Deus e me faça de novo!




22 de out de 2010

Dança mundana / Dança diante de Deus

Pra começar, todas as danças são de Deus, mais o diabo como é astuto ele faz como ele acha melhor, querem fazer dos homens, escravos de seus corpos. Alguns usam a dançam para seduzir alguém, outros dançam pra mostrar q tem corpos bonitos, e outros dançam porque gostam de se expor mesmo. Pois é isso que o diabo quer, trazer prostituição em todos os sentidos.A palavra mesmo diz em Êxodo 32.9- Tenho visto a este povo, e eis que é obstinado.
É isto que o diabo quer, um povo obstinado pelas coisas que ele oferece.
Em I Samuel 30.16 diz - E eis que estavam espalhados sobre a face da terra, comendo, bebendo e dançando, por todo aquele grande despojo que tomaram da terra...
Pois o diabo quer isso. Muitas pessoas quando estão com problemas vão para uma festa pra comer, beber e dançar pra esquecer os seus problemas. Mas isso não adianta pq naquele momento é só alegria e então quando você retorna para sua casa você vive aquele momento de preocupação. E eu pergunto adiantou alguma coisa?
Em Marcos 6.22 diz-...Dançou, e agradou a Herodes e aos que estavam com ele á mesa; disse então o rei a menina: Pede-me o que quiseres, e eu to darei.
O diabo quer usar a dança para fazer o que quiser através dela, e muitos usam a dança para seduzir.
Deus quer mudar a vida dessas
pessoas que dançam dessa forma.Em Jeremias 31.4 diz:Ainda te edificarei, e serás edificada, ó virgem de Israel! Ainda serás adornada com os teus adufes e sairás com o coro dos que dançam.
Deixo um versículo para você refletir, em Jó 21.34 diz: Como, pois me consolais em vão?Pois nas vossas respostas só há falsidade.
Ou se acharem melhor leia Jó 21

Dança diante de Deus
Quando dançamos pra Deus, nós dançamos para Adorar a Deus, por tudo que somos e por tudo que temos e pela salvação q temos em Cristo Jesus. Afinal, foi pago um bom preço para isso. João 3.16 diz: Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
Por isso que adoramos e dançamos para Deus, pois ele fez e faz coisas maravilhosas nas nossas vidas.
Não é pecado dançar, a dança tem que ser gerada do coração vindo de Deus.
Na bíblia no livro de EXODO 15:20, 21-Então Miriã, a profetiza, irmã de Arão, tomou na mão um tamboril, e todas as mulheres saíram atrás dela com tamboris, e com danças. e Miriã respondia: cantai ao senhor, porque gloriosamente triunfou; lançou no mar o cavalo com seu cavaleiro.
Esse versículo fala que Miriã dançou alegremente que contagiou as outras mulheres e então vieram todas atrás de Miriã .
Dançar pra Deus é assim, você contagia quem esta ao seu lado.
Temos também no livro de II Samuel 6.14 diz que Davi dançou com toda a sua força para Deus.
Pois é isso que temos que fazer, dançamos com todas as nossas forças, porque toda honra e toda glória é dada somente pra Deus.
O que eu tenho há dizer pra você é LOUVEM O SEU NOME COM DANÇA, CANTEM-LHE O SEU LOUVOR COM ADUFE E HARPA. (SALMOS 149.3)

fonte: http://fotolog.terra.com.br/restituicao_do_mana:8

21 de out de 2010

Dança Profética

A utilizaçãoa dança é algo que tem crescido tanto em número de igrejas que a introduziram em seus cultos, quanto na forma de apresentação.

Vemos que em algumas igrejas apenas a utilizam em forma de coreografia, onde há ensaios para que os movimentos sejam idênticos, em outras as apresentações são de forma teatral valorizando vestes e mensagens.
Esta ferramenta (a dança), assim como a música, pode ser utilizada para o engrandecimento do nome de Jesus, como também um instrumento nulo, sem efeito algum.
Ultimamente temos ouvido uma grande divulgação do termo profético (louvor profético, adoração profética, conferência profética, dança profética). Neste estudo falaremos sobre a dança profética.
No livro de Romanos capitulo 12, versículos 6 diz: "temos variedades de dons segundo a graça que nos é dada", vejo que a dança é um dom, assim como a profecia, sendo a dança um dom natural e a profecia um dom espiritual.
Como podemos unir estes dons em prol da obra, como Deus quer agir?
A dança na igreja leva o adorador a expressar com o seu corpo, tudo aquilo que ele está sentindo, ele fala através da expressão, do movimento.
O profeta fala aquilo que está no coração de Deus, aquilo que está no mundo espiritual.
Nas escrituras não encontramos nenhum relato de uma profecia dada por dança, apenas descreve que Miriã dançou, expressando ações de graças, e ela era uma profetisa.
Mas vejo que Deus quer que façamos coisas diferentes, em seu nome faremos coisas maiores do que as que Ele fez, temos que ser ousados sempre, mas nunca sem base bíblica.
Precisamos estar sob a direção do Pai, para que Ele nos use como instrumentos afinados, ajustados, totalmente excelentes.
O termo profético na dança não pode ser usado para prever algo com expressões, mas sim revelar aquilo que Deus deseja para a sua igreja.
I Corintios, 16-1 diz : "segui o amor, e procurai com zelo os dons espirituais, mas principalmente o de profetizar". Estamos em uma geração que precisa restaurar o dom profético, Deus precisa restabelecer suas atalaias.
Não podemos permitir que a profecia perca a sua essência, se isto acontece, literalmente estamos nadando contra as correntezas.
Há grande diferença entre ministrar com danças e o profetizar com danças.
Na ministração expressamos aquilo que sentimos, ou seja, nossas emoções, nossa gratidão, nossa adoração. É uma dedicação pessoal, mas que contagia outras pessoas, além disso, cativamos a igreja a obter maior liberdade na presença do Senhor. Estaremos servindo ao Senhor com a nossa dança.
DANÇA PROFÉTICA
"Procurai o dom de profecia..."
A pessoa que exerce a função de dançarino na igreja precisa buscar este dom. Não podemos simplesmente dizer, profetizei, ou exerci um ato profético. O profeta, fala aquilo que está vendo ou sentindo no mundo espiritual, em uma visão diferente, tem a visão de Deus, daquilo que o Pai quer realizar. Ele tem o sentido que muitos não tem, mas precisam, então Deus levanta tais pessoas para realizar a sua obra e o seu querer.
A Bíblia sempre fala do verdadeiro profeta como um referencial, vemos que o povo, os reis, os líderes sempre procuravam os profetas para saber como proceder. Eles tinham intimidade com o Pai, caminhavam em um ritmo diferente, tinham uma visão diferente.
Quando iniciamos uma dança profética, neste momento o Senhor está falando, quero que você dance em um ritmo diferente, com passos diferentes, eu vou te dirigir e não você a mim.
Deixamos nossas emoções e damos lugar ao Espírito de Deus, para que realize através de nós a vontade do Pai, como instrumentos totalmente afinados.
Podemos dizer que a essência do profético é entrar no mundo espiritual, ver, ouvir e expressar aquilo que está no coração do Pai.

Para que haja a dança profética é necessário antes de tudo ter vida com Deus, ter humildade, adoração como regra de vida, santidade.
Não podemos planejar uma dança profética, como profetas devemos estar sob total direção de Deus.

Extraído

Autor : Emerson Medeiros. emerson@lugarsecreto.fh2.net

20 de out de 2010

GRATIDÃO

Uma das maiores expressões de adoração que podemos manifestar ao Senhor todos os dias é a nossa Gratidão.

Davi nos ensina: “Rendei graças ao Senhor porque Ele é bom e a sua misericórdia dura para sempre.”

Precisamos parar para ver como tem sido a nossa oração diante do Senhor: temos apenas orado pedindo suas bençãos ou temos acordado todas as manhãs com um coração grato: pelas misericórdias do Senhor que se renovaram sobre as nossas vidas, pelo pão que não tem faltado à nossa mesa, pela nossa família, por nossa saude, pela provisão diária do Senhor em nossa vida… temos tantos motivos para agradecer mas, infelizmente, gastamos mais tempo de nossas orações lamentando e pedindo.

Até a medicina comprova que, quando temos um estilo de vida de gratidão, isso produz saúde física e emocional ao nosso corpo.

O nosso desafio é até mesmo agradecermos ao Senhor pelas dificuldades que enfrentamos no dia a dia, onde temos oportunidade de ver a glória do Senhor se manifestar em nossas vidas.

A oração de gratidão no meio da adversidade agrada o coração do Senhor.

Estou feliz e grata ao Senhor pelo que Ele fez neste fim de semana na Estância Paraíso na Escola Intensiva. Tivemos irmãos do Rio de Janeiro, Espírito Santo, São Paulo, Brasília, Natal, Minas Gerais e até da Alemanha, aprendendo mais do Senhor e clamando juntos, em unidade profetizando um novo tempo para o nosso Brasil.

Nesta semana escolha adorar ao Senhor!

Comece diferente sua semana. Adore ao Senhor por sua vida, pelos feitos poderosos do Senhor, por sua família, pelo chamado e propósito que Ele tem e vai realizar através da sua vida, pela sua Igreja, pela sua cidade e pelo nosso Brasil.

“Suba a minha oração perante a tua face como incenso, e as minhas mãos levantadas sejam como o sacrifício da tarde. Salmos 141:2

Tenho certeza que você vai experimentar o SOBRENATURAL DE DEUS nestes dias.

Quero te convidar a participar conosco do próximo Seminário de Intercessão que será realizado de 22 a 24 de outubro, na Igreja Apascentar em Nova Iguaçu – RJ.

Você pode ter informações no telefone Tel 21.2669.5757.

Um abraço,

Zê - http://blogdaezenete.wordpress.com/



DOM SEM UNÇÃO É PERCA DE TEMPO


Graça e Paz amado levitas da dança,


Neste artigo abordaremos um assunto tão importante quanto os que já foram publicados aqui no BLOG JIDE e eu espero que seja fonte de bençãos para a sua vida e a vida de sua equipe. A bíblia nos fala sobre os dons do Espírito (1Co.12.1) e também nos fala que esses dons são para servirem a igreja, o copo. (1Co.12.7).
Deus nos conhece, já nos conhecia mesmo antes mesmo de nossos pais (JR. 1.5), antes de nascermos trazemos conosco o dom, a vida e outras apetidões naturais e a medida que vamos nos deselvonvendo esses dons também são estimulados dentro de nós. A palavra dom significa dádiva, presente, esse é o presente que Desu nos dá.

Dom e Talento

Os dois são dádivas dadas por Deus para a edificação da igreja, mas, pude perceber que existem algumas diferenças entre eles. Vejamos:
O dom é uma dádiva divina somenete para os cristãos (Rm.12.2-6). Os dons não são para serem usados para propósito egoístas e sim para abençoar pessoas. Os talentos diferem dos dons no sentido de que é uma dádiva comum a cristãos e não cristãos. O talentos podem ser dados por Deus ou não. Em Êxodo 31.1-6 vemos que Deus liberou um talento sobre a vida de Bezalel, visto que podem ser cultivados de acordo com o ambiente, e com a genética. Se uma criança nasce numa família de bailarinos, logicamente, suas abilidades específicas serão voltadas para a dança, assim como uma crianças que nasce num ambiente circense ou musical. Podem ser também por genética, uma criança que tem habilidade com números e se difere das outras pela sua alta capacidade de calcular. Os dons são direcionados somente para acrescentar na vida espiritual da igreja, já os talentos pode ser levados para âmbito profissional secular. Todos podem ter talentos, partindo do princípio de dedicação e busca por aperfeiçoamento.

Você tem cultivado os seus dons?

O aperfeiçoamento só vem mediante a prática isso envolve tanto dons espirituais como talentos, por isso temos que ter uma vida de busca e santidade como também buscar e andar com pessoas que são melhores do que nós. Nunca devemos andar com pessoas que não vai nos acrescentar algo de bom a nossa vida ministerial e secular. Se um planta não recebe os devidos cuidados para que possa florescer e dar frutos ela nunca vai se deselvolver e nossos dons e talentos funcionam da mesma forma, se eu não cuido do meu talento eu não terei bons resultados. Se eu não busco mais de Deus, meu dom nunca será um canal de benção. Quando cultivamos nossos dons ficamos aptos para exercitá-los. O inimigos deste século quer nos levar a esquecer do dom que Deus nos deu, colocando empcílios afim de que larguemos de lado o maravilhoso dom que Deus nos deu. Peça a Deus mordomia, ao contrário do que você pode estar pensando sobre mordomia, essa capaciade diz respeito a administração. Você precis administrar seu tempo, o que temos visto em muitos lugares são pessoas que gostam tempo na frente de um computador, da televisão e esquecendo que precisa ter mordomia para organizar sua vida. O Espírito de Deus só atua quando há organização, Deus nunca vai te usar enquando você for um desordeiro.

Não desprezes o dom que há em ti, o qual te foi dado por profecia, com a imposição das mãos do presbitério. 1 Timóteo 4:14.

O diabo tem a cada dia tentado enterrar os nossos dons e ele coloca artifícios como timidez e medo para nos paralizar. A timidez que paraliza não é um sentimento e sim um espírito malígno que atua nesta área. Quanto mais timidez, mais areia é jogada nos seus dons. A timidez é um espírito que vem atuando dentro das igrejas nos dias de hoje. Existe uma diferença entre timidez e falta de conhecimento.
Exemplo: Quando uma pessoas é escalada para dar uma palavra no culto, a pessoa sabe falar e tem uma boa dicção, no entanto, não tem profundo conhecimento do que vai falar, então acaba ficando limitadar por não conhecer a palavra. Contrariando esse exemplo temos o tipo de pessoa que tem um conhecimento profundo do que vai falar mas, por uma ação demoníaca que trava, ela não consegue se desenvolver.
Muitas pessoas têm dado ouvido a esse espírito malígno ao invés de dar ouvidos para o Espírito Santo de Deus para que ele possa operar.
Quando você dá ouvido ao espírito maligno ele causa falta de interesse, traz com ele outro demônio que faz o indivíduo se sentir um perdedor e sentindo o pior dos piores.
Eu não estou falando que você está com um demônio no corpo, mas, estou afirmando que você está se deixando levar por uma ação malígna.

Cada um administre aos outros o dom como o recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus. 1 Pedro 4:10

Buscando unção sobre minha cabeça

A unção nos diferencia das demais pessoas, é ela que se torna a ponte, o elo de ligação entre eu e Deus.
Para termos a unção é preciso pedir ao Todo Poderoso para que Ele nos conceda. Deus só nos dá a unção quando ele sabe que vamos usar, não adianta nada pedirmos a unção se não vamos usar. Temos que usar a nossa unção para curar, libertar, alegrar, ganhar almas, tocar o coração de Deus, a unção não se limita apenas a isso que acabamos de citar, a unção não tem limites, use sua unção, exercíte-a de forma criativa.Também deve hever em um ministro de louvor em danças a conservação e renovação da unção, como uma fonte a jorrar. A água da fonte ela não fica velha, ela está em movimento, ele se renova, assim deve ser a nossa unção, sendo renovada a cada dia, unção velha não cura ninguém, não faz a diferença em ninguém. Para que a unção não acabe é preciso renovar o odre e esse odre sou eu, é você. Um caso parecido com este é o caso da viúva, que se encontra em II Reis 4.1-7. O que me chamou a atenção nesta passagem foi que o azeite só parou de descer quando se acabaram os potes. Essa passagem se encaixa exatamente na palavra que eu quero transmitir para você. Enquanto havia potes para serem cheios havia unção descendo do alto, quando acabaram os potes, sessou a unção. Trazendo para nossa realidade a unção só acaba quando sessam as orações, quando o nível de busca termina.
Você pode até realizar com o seu talento, mas sem a unção para diferenciar você só vai estar perdendo o seu tempo.

"A unção só acaba quando acaba os odres, ou seja, quando você para de buscar".

Toda a boa dádiva e todo o dom perfeito vem do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação. Tiago 1:17

Meu ministério tem impactado alguém?

Dançar simplesmente por dançar nunca foi e nunca será uma boa idéia. Quando dançamos estamos entregando a Deus o nosso louvor, o louvor sobe a presença de Deus como um cheiro suave. Quando passamos na rua e sentimos um cheiro desagradável, rapidamente saímos daquele lugar, pois o cheiro é insuportável, o mesmo acontece com Deus quando dançamos de forma que ELE não gosta (no pecado), um cheiro de carniça, um cheiro desagradável e insuportável sobe as narinas de Deus. Será que Deus vai habitar no meio de carne podre? Quando a SUA palavra diz que somos templo do Espírito Santo é para nos conservermos puros e limpos. Como está sua casa? Como está seu coração? Como está a arrumação da sua casa? É tempo de arrumarmos nossas casas, tempo de arrumarmos nossos corações para que Deus tenha prazer em habitar. Como vamos impactar uma pessoa se nós mesmos não estamos querendo impactar ninguém? Eu li uma vez e guardei essa palavra no meu coração que dizia: “Muitos querem a unção mais poucos querem transformação de caráter” e eu passei a viver essa palavra, Deus estava cobrando de mim algo que eu não estava dando para ELE que era toda a minha dedicação, eu me dedicava, mais Deus quer sempre mais de nós e ELE me levou a um grau de intimidade e santidade muito elevado. Mais para isso acontecer eu tive que pagar preço nas orações, nos jejuns, nos quebrantamentos, nas minhas humilhações e nas relações com o mundo. Para impactar uma geração é preciso pagar o preço, e quanto mais você paga mais você recebe de Deus. Deus está nos chamando para ter um relacionamento sincero com ELE, Deus quer te dar coisas que você ministro de dança, louvor, teatro e outros nunca viu na sua vida, coisas que você nunca ouviu falar.
Deus nos chama para fazer uma revolução na nosso sociedade, Deus nos chama para marcar uma geração, Josué marcou a sua geração e continua marcando até hoje, e Deus quer fazer isso conosco também, basta você dar ouvidos ao chamado de Deus e pagar o preço que é grande.

Saiba que se a tua dança não tem unção, você está perdendo seu tempo, é melhor

Antes de você impactar uma geração você precisa ser impactado pela Glória de Deus. Deixe o fogo de Deus descer sobre ti, deixe a Glória de Deus te marcar, te consumir.


Leonardo Ribeiro

18 de out de 2010

Expressão Ágape - Imagens





A DANÇA, A GANGORRA E O LOUVOR

Graça e Paz Amados Levitas da Dança,

De que é constituída uma igreja, já parou para pensar? Respondendo a essas perguntas podemos começar dizendo que a igreja é constituída por pessoas que creem em um único Deus, essas pessoas constituem pequenos grupos e esses grupos integram ministérios/equipes e dai temos uma igreja. A raça humana é diversificada, ou seja, ninguém vai querer fazer sempre as mesmas coisas, por isso temos ministérios variados. Hoje eu queria falar sobre o ministério de Louvor e a Dança, que muitas pessoas pensam ser ministérios totalmente distintos, e realmente são, porém quando há uma homogenização das equipes podemos adiquirir resultados bem mais satisfatórios do que se fosse cada um por si e Deus por todos. Dança e Louvor caminham juntos, lado a lado.

A dança durante o louvor

A música e a dança estão ligadas desde os tempos bíblicos, a dança é uma expressão que não necessita de música para transmitir uma mensagem, porém a música e a melodia tornam os movimentos muito mais gostosos de se ver e ouvir. A dança é um reflexo de nossas vidas, se estamos bem dançamos bem, se estamos mal, podemos até dançar bem, mas, o homem interior denuncia seu real estado emocional e isso reflete no lado espiritual da dança.
Você já deve ter perguntado ou respondido a seguinte pergunta: NA SUA IGREJA VOCÊS DANÇAM NA HORA DO LOUVOR? Mais o que é dançar na hora do louvor? As bailarinas da televisão dançam durante as apresentações artísticas. Seria a mesma coisa? O que muitos falam erroneamente que é a dança espontânea, mais não é.

A dança durante o louvor não é uma expressão espontânea do Espírito, visto que já temos movimentos pré programados e sequências ensaiadas memorizadas, o que acontece é um mover através dos movimentos que é expresso pelos corpos santos que exultam ao Senhor, uma resposta à presença de Deus por nossa adoração.
Exemplificando o que acabei de falar: a dança durante o louvor é como liberar uma palavra profética para o irmão que está do meu lado, o Espírito não precisa me impulsionar a falar, a minha mente e a minha fé determinam o que vou dizer e através desta mesma fé as coisas acontecem. Há relatos na bíblia sobre isso em 2 Reis 4 14-17, Geazi num momento de gratidão para com a Sunamita profetizou que ela conceberia um filho. E isso aconteceu! Diferentemente da profecia, quando nos tornamos a boca de Deus e não controlamos as palavras pois é o próprio Deus nos usando. Isso não significa que perdemos o controle dos nossos movimentos e começamos a fazer estripulias "SEM NOÇÃO E SENTIDO ALGUM" existe um propósito no que Deus faz.

...conforme a palavra do SENHOR, que falara pelo ministério de Elias. 1Rs 17.16

Durante o louvor nos tornamos instrumentos do agir de Deus, e é nessa hora que somos usados para operar milagres. Durante o louvor, o ministro de louvor precisa saber que ele tem um instrumentos nas mãos (os ministros de dança) e ele precisa comandar e coordenar tudo isso através do Espírito Santo. O que vemos muitos por ai e aqui em nossa igreja já foi assim, é que o ministros de louvor está em uma ministração de cura e o ministério de dança ministrando a unção da alegria. Não seria mais proveitoso se sentasse dança e louvor para juntos louvarmos e dançarmos com um só propósito? O ministério de Louvor e Dança precisam estar em plena sintonia entre si e com o Espírito Santo.
O individualismos atrapalha muito a vida dos levitas, e quando falo levita me refiro a todos. Tirando as limitações do dia-a-dia tais como: horário, estudos, trabalho, as vezes ficamos impossibilitados de reunir todo mundo para ensaiar, bom seria se isso acontecesse, mais infelizmente as coisas ainda estão paradas nesse sentido. Existem um elo rompido entre louvor e dança e ele precisa ser restaurado, não estou falando do elo da menina que dança e namora o guitarrista, ou o filho do ministro de louvor que integra a dança, não são elos de relacionamento amoroso ou sanguíneo, são elos espirituais, é você olhar e o Espírito testificar o ato profético. É UNIDADE! O descrédito e a empatia entre alguns levitas é perceptível e isso afeta diretamente a equipe e a igreja.

E pela cruz reconciliar ambos com Deus em um corpo, matando com ela as inimizades. Efésios 2.16

E onde entra a gangorra nessa história?

Primeiramente, o brinquedo nada tem haver, porém o efeito a qual me refiro é semelhante a uma gangorra, e o inimigo tem lutado para deixar as coisas piores a cada dia. Um dia o ministério de louvor está bom, os louvores perfeitos, e o mover de Deus toma toda a igreja, enquanto que o ministério de dança passa por várias crises, de falta de liderança, desânimo, perda de integrantes e por ai vai. No outro dia o ministério de dança está reerguido e estão conquistando no sobrenatural, enquanto que o ministério de louvor, está na crise porque um quer tocar mais que o outro, por falta de comprometimentos nos horários, falta de oração, e assim segue.

Isso pode não acontecer em sua igreja, pois ela é Perfeita, mais em muitas outras igrejas isso é verídico, só você conviver para descobrir. Quer conhecer um ministério, conviva com ele. Tenho a ligeira impressão de que quando não conhecemos a vida das pessoas a primeira vista elas parecem ser perfeitas, e isso é o que muitas vezes limita a nossa adoração, não acreditar na mudança de indivíduos que participam de nossas equipes. Aquele baterista que ficava com todas as garotas da igreja, ou aquela ministra de dança que dava um péssimo testemunho, isso muitas vezes atrapalha a nossa adoração. Esquecemos DELE para reparar no passado das pessoas e questionar o motivo de serem chamados de levitas. E assim vamos sendo enganados pelo inimigo, entre os altos e baixos da gangorra e de uma equipe desaliançada.

Um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos e em todos vós. Efésios 4.6

O título fala específicamente de louvor e dança, mas, isso não acontece somente conosco, é com as artes de um modo geral. Podemos solucionar esses problemas e avançar para o alvo. JESUS! Se um cair o outro ajuda, pois é desta forma que as equipes trabalham. Encontros de ministérios (louvor, dança, teatro, sonorização, iluminação) todos os ministérios que trabalhavam no altar e fomos levados a entender que o altar é lugar de unidade e comunhão com Deus e com nossos irmãos, entendemos também que não existe o "eu" e sim o "nós". Muitas vezes não podemos estar ensaiando juntos mais escolhemos um dia para orar e todos comparecem, as músicas dos cultos são repassadas para a equipe de dança para que possamos nos preparar com o figurino adequado e no propósito correto. Existem ensaios específicos para os cultos todos os dias em que ministramos, nada é feito ao vento, tudo é pensado e nos colocamos na dependência de Deus para ELE realizar as mudanças que ele bem quer.

Talvez, até o presente momento você nem tinha parado pra pensar nessa triste possibilidade, e agora se vê dentro dessa situação. Não se desespere. Busque direcionamento de Deus e aconselhamento pastoral, procure se achegar mais para aqueles que estão distantes de você e de sua equipe, se eles não entenderem o que você está fazendo, seja paciente e explique. Chame o responsável e ministre essa palavra ao coração dele, a UNIDADE dos ministérios.

E eu dei-lhes a glória que a mim me deste, para que sejam um, como nós somos um.
Eu neles, e tu em mim, para que eles sejam perfeitos em unidade, e para que o mundo conheça que tu me enviaste a mim, e que os tens amado a eles como me tens amado a mim. João 17.22-23

Espero ter lhe ajudado. Até a próxima postagem!

Graça e Paz!!!!

Leonardo Ribeiro

17 de out de 2010

A CRUZ NAO E O FIM



A cruz é o símbolo maior do cristianismo. Ela representa o objetivo último do cristão, a vitória do espírito sobre a carne, da luz sobre as trevas, da vida sobre a morte.
Muito se tem pregado ultimamente nas igrejas cristãs sobre a graça de Deus em nossas vidas, sobre as Suas promessas e abundantes bênçãos, que estão à disposição de todos que se proponham colocar a sua fé em ação.
Entretanto, muito pouco se tem pregado sobre a mensagem da cruz e o seu profundo significado na vida do verdadeiro cristão.
A missão de Cristo neste mundo atingiu seu ápice com o sacrifício de sua vida humana sobre uma cruz, e neste sacrifício reside todo o sentido de sua passagem pela Terra.
Disse o Filho de Deus:
“Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz, e siga-me” (Mt:16-24)
e também:
“E quem não toma a sua cruz, e não segue após mim, não é digno de mim.” (Mt:10-38)
Mas o que significa exatamente esta cruz referida por Cristo, em nossas vidas?
Para entendermos claramente o significado destas palavras de Jesus, é necessário primeiro compreender o significado pleno do sacrifício de sua morte.
A Bíblia deixa claro que a razão espiritual da morte de Cristo foi a nossa redenção, a nossa justificação perante Deus, uma vez que por nossa natureza corrompida, não poderíamos por nós mesmos promover esta reconciliação.
Jesus incorporou ali, sobre o madeiro tosco, a natureza corrupta de todos os homens e através de um ato supremo de amor e compaixão, nos libertou desse estigma existencial terrível, o qual adquirimos através de todos os nossos erros, desde o princípio dos tempos.
Ao se entregar ao poder do homem, nas mãos de seus algozes, Jesus negou a si mesmo, abdicando de sua natureza e perfeita e onipotente, para que fosse possível dali em diante, a todo homem, resgatar a sua herança de vida eterna em comunhão com o Pai.
Normalmente, a idéia que se faz da cruz é a de que ela representa o fardo de todas as tribulações por quê passamos no mundo, ou o peso individual de uma responsabilidade penosa, a que estamos sujeitos por imposição do meio em que vivemos.
Mas ao refletir detidamente sobre a palavra de Deus, vê-se que o significado espiritual da cruz tem um sentido bem mais restrito e, ao mesmo tempo, bem mais profundo. Na verdade, a cruz simboliza tão somente os sacrifícios, constituídos das provações e renúncias que devemos assumir, de forma a cumprir o sublime mandamento de Cristo:
“Sede vós, pois, perfeitos, como é perfeito o vosso Pai celestial.” Mt:5-48
Assim foi a cruz de Cristo, embora o seu sacrifício não fosse em prol de Sua perfeição, uma vez que já era perfeito, mas em prol de nossa salvação.
Entretanto, para nos reconciliarmos plenamente com Deus, não basta crer em Cristo e nos comovermos com este ato supremo de abnegação e compaixão.
Cristo abriu a porta para a redenção espiritual do homem, mas para passarmos por esta porta, é necessário um sacrifício pessoal. A sua morte nos libertou de nosso passado de pecado, e pela graça divina, conquistou para nós o direito de sermos chamados novamente de filhos de Deus.
Cristo foi o supremo sacerdote que, ungido por Deus, realizou o sacrifício perfeito e definitivo, pelo qual obtivemos o pleno perdão por todos os nossos erros passados, não tendo mais portanto que oferecer nenhum sacrifício material em holocausto, pela remissão de nossos pecados.
“Mas Cristo, tendo vindo como sumo sacerdote dos bens já realizados, por meio do maior e mais perfeito tabernáculo (não feito por mãos, isto é, não desta criação),e não pelo sangue de bodes e novilhos, mas por seu próprio sangue, entrou uma vez por todas no santo lugar, havendo obtido uma eterna redenção.” Hb:9-11-12
Entretanto, Jesus deixou claro que, quem não toma a sua cruz pessoal e não o segue não é digno de seu sacrifício. Mas o quê significa para nós este sacrifício pessoal?
Jesus não tinha pecado, e o que ele sacrificou na cruz foram nossos pecados passados, nossa culpa ancestral perante Deus.
Cristo sepultou com Ele o velho arquétipo do homem em pecado, isto é, escravo de suas concupiscências e sujeito a uma Lei de sacrifícios materiais pessoais, para sua própria remissão:
“Sabendo isto, que o nosso homem velho foi crucificado com ele, para que o corpo do pecado fosse desfeito, a fim de não servirmos mais ao pecado.” Rm:6-6
“Pois o pecado não terá domínio sobre vós, porquanto não estais debaixo da lei, mas debaixo da graça.” Rm:6-14
Entretanto, o sacrifício de cristo não torna perfeita nossa natureza, automaticamente. Fomos libertos, mas continuamos pecando, por nossa vulnerabilidade humana, embora agora sejamos capazes de vencer o pecado em nossas vidas:
“Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, para obedecerdes às suas concupiscências” Rm:6-12
e ainda que voluntariamente não pequemos, carregamos em nossa psique traços que nos predispõem permanentemente ao erro.
Para sermos perfeitos, à imagem e estatura de Cristo, temos que oferecer em holocausto o nosso ego crucificado, para que Deus possa assim nos transformar, como santo oleiro, em vasos de glória.
Se desejamos verdadeiramente seguir a Jesus, e sermos dignos de seu sacrifício redentor, precisamos assumir a nossa cruz, e nos alegrarmos com ela, pois assim fazendo, já não viveremos mais por nossas próprias forças, mas seremos sustentados pela força e pelo amor de Jesus:
“Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim” Gl:2:20
Somente aquele que oferece a sua vida pessoal em sacrifício, à semelhança de Cristo, pode nascer de novo, e herdar uma vida incorruptível, de plenitude espiritual e comunhão com Deus.
Imagino a trave horizontal desta nossa cruz pessoal significando a submissão às provações pelas quais devemos passar, a fim de expurgar de nossa alma nossos defeitos e construir um caráter digno do reino de Deus.
Mas não a submissão passiva e irrefletida, mas a submissão consciente, tendo a necessária noção do mal que cada um desses defeitos causa em nossa vida e na vida dos que nos cercam.
Imagino também a viga vertical, como símbolo da da renúncia que devemos voluntariamente exercer, com relação às nossas paixões carnais, aos nossos desejos mesquinhos e às nossas ambições egocêntricas, em favor do servir a Deus e a nosso semelhante, da obediência aos ensinamentos de Cristo..
É somente através do sacrifício de nosso ego, sobre a nossa cruz pessoal, que poderemos nos tornar dignos de receber um dia as vestes brancas e a nova identidade, o novo nome de que nos fala o Cristo ressurrecto:
“O que vencer será assim vestido de vestes brancas, e de maneira nenhuma riscarei o seu nome do livro da vida” Ap:3-5
"Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas. Ao que vencer darei do maná escondido, e lhe darei uma pedra branca, e na pedra um novo nome escrito, o qual ninguém conhece senão aquele que o recebe." Ap.2:17
Extraido Portas Abertas.

10 de out de 2010

Apresentações

http://www.youtube.com/watch?v=BSeh7HkrsVI

http://www.youtube.com/watch?v=Kwa1wcFwZcQ

http://www.youtube.com/watch?v=2TY50YDlt90

http://www.youtube.com/watch?v=kqQphc3rXGc

http://www.youtube.com/watch?v=hn_UPTsL4Ug

http://www.youtube.com/watch?v=FbGZdWVEDxs

http://www.youtube.com/watch?v=EUPGOuE5JQ0