Nossos Vídeos

Loading...

Lider do Ministério de Dança - Evelin Estrada

10 de dez de 2012

Vote em minha Bonequinha ...Mell

Vamos lá mamães, papais, amigos e família, nós estamos precisando do seu votinho! Não demorará um minuto, é o primeiro concurso do meu bebê!!!Para votar basta clicar no link >http://j.mp/Vz1606 , e votar depois! Obrigada a todas que já votaram!! ♥



22 de fev de 2012

A dança na Adoração - Evelin Estrada


Nestes últimos tempos temos visto o Senhor mover sua igreja para uma forma de louvor e adoração cada vez mais profunda, neste processo, a dança como ministração de louvor e adoração, guerra espiritual e expressão corporal de alegria, tem estado cada vez mais presentes.

É comum que o povo expresse os seus sentimentos através da arte, sendo a dança um grande instrumento de comunicação, esse movimento não é nenhuma novidade e sempre fez parte das comemorações cristãs.

"Antes de sermos bailarinos, músicos, cantores, somos vasos santos, ministros e sacerdotes. Logo temos a responsabilidade de sermos referencial da Glória de Deus".

Como a arte tem sido restaurada por Deus nas Igrejas, vale bem lembrar que nós também precisamos ser restauradas.

Os grupos de coreografias tem invadido a Igreja!!!!!! E daí? Qual o propósito desse trabalho? Qual é o seu significado na ADORAÇÃO?

Enfim:

A música, a dança, o canto...., fazem parte de uma linguagem onde cada um tem o seu significado: na música é a sonoridade da harmonia dos instrumentos, no canto as palavras, na dança é a imagem dos movimentos.

ATENÇÃO: "toda arte tem a mesma importância, mas só tem valor se salvar, curar, restaurar e edificar". E no caso da dança, a unção vem pelo movimento, não se tratando de um adorno para enfeitar o púlpito da igreja. A nossa dança tem que ser contagiante, onde que na hora das ministrações haja nossa influência, levando as pessoas a adorarem o Senhor.

EXODO: 15:20. Então Miriã, a profetisa, irmã de Arão, tomou na mão um tamboril, e todas as mulheres saíram atrás dela com tamboris, e com danças.

A ministração pode ser feita de duas maneiras:

1º - Através da dança pré-estabelecida

2º - Através da dança espontânea

A Adoração é uma atitude interior e não exterior. Se entendermos a dança como parte do louvor, poderemos usá-la com mais sabedoria para atravessar o Santo dos Santos. Ninguém é mais espiritual por usar uma ou outra linguagem, utilize tudo o que você tem para ser um daqueles Adoradores que o Pai procura, temos que viver em novidades de cântico, movimento e palavras, mas sempre conduzido pelo Espírito Santo.

Muitos nas Igrejas veem isso como algo inusitado, diferente e moderno, mas a Bíblia está repleta de trechos que relacionam o louvor à adoração diretamente a expressão corporal.

SALMO 150:4 - Louvai-o com adufe e com danças; louvai-o com instrumentos de cordas e com flauta!

Esse é um motivo suficiente para cremos que se nós rendermos ao Senhor, movimentando o nosso corpo em reação ao nosso desejo de louvar, o Senhor se agradará. A dança não é em si adoração, mas faz parte dela.

SALMO 103:1 - Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e tudo o que há em mim bendiga o seu santo nome.

*DANÇAR POR JESUS, DIANTE DELE E PARA ELE. ESTE É O NOSSO PROPÓSITO*.

Fazer diferença no meio da Igreja depende do quanto verdadeiramente buscamos o Senhor. Apenas o nosso talento por mais maravilhoso que pareça, não é o suficiente para um culto em espírito e em verdade. Sem a unção do Espírito Santo de Deus sobre nós, qualquer ação para o culto é apenas gestos sem sentido e sem nenhum objetivo.

Nós não fazemos parte deste ministério somente para "ajudar" a Igreja, nós somos uma autoridade, um servo do Senhor, devemos viver como tal, devemos nos preparar para essa obra, pois desta forma o Senhor vai ungir os nossos talentos para cumprimento das promessas em nossas vidas.

SALMO 149:3 - Louvem-lhe o nome com danças, cantem-lhe louvores com adufe e harpa.

A dança tem uma importância muito grande nas regiões celestes, que geram movimentos e luz, que produzidos por corpos santos exaltam ao Senhor Jesus.

A dança estabelece ritmo corporal que altera a mente em todos os sentimentos, embalam a alma para o domínio do espírito, se no espírito do homem habita o Espírito Santo, coisas santas serão produzidas, mas se habita trevas, vai produzir coisas como: sensualidade, ego .... e outras coisas influenciadas pelo mundo.

Há uma unção direta da dança, na vida do que dança. A mente, coração e as emoções são conduzidos à presença do Senhor com graça e gozo somente experimentados por aqueles que dançam no Espírito. Muitos não compreendem, mas o Senhor é exaltado, não somente pela dança corporal, mas a dança gerada por um corpo que contém um coração quebrantado em Adoração.

Esta dança gerada pelo Espírito de Deus, a começar em nosso espírito, redunda em louvor ao Todo Poderoso, esta dança podemos ter em nossos cultos, que agrada ao Senhor e alegra o nosso coração.

Nós devemos ministrar a Deus e não a homens, e não devemos nos preocupar com as aprovações e o agrado dos homens, no que diz respeito a nossa performance, temos que estar ligada no Trono de Deus, e somente adorá-lo e agradá-lo.

Quanto aos homens... bem, prepare-se..... Algumas vezes haverá críticas, insatisfações, desagrados, julgamento e condenações. Mas nesse meio Deus estará SORRINDO PRA VOCÊ.

Efésios 6: 6,7 - Não servindo a vista como agradar aos homens, mas como servo de Cristo, fazendo de coração a vontade de Deus, servindo de boa vontade como ao Senhor e não como aos homens.

ICorintíos 10:31 - Portanto, quer comais, quer bebais ou fazeis qualquer coisa, fazei tudo para a Glória de Deus.

Colossense 3:17 - E, quanto fizer por palavra ou por obras, fazei tudo em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai.

Salmo 115:1 - Não a nós, Senhor, não a nós, mas ao teu nome da Glória, por amor da tua begnidade e da tua verdade.

Quando alguém fica de fora, ou seja, não acompanha a Adoração, esta pessoa pode ser usada pelo inimigo para atrapalhar quem está adorando, com críticas e questionamento sem fundamento nenhum.

Dançar para Deus, é forma de gratidão, adoração. Quando estamos dançando, estamos dando ao Senhor uma adoração com tudo o que temos e com tudo o que somos, não importa onde dançamos, no quarto, na igreja, em um seminário, em um momento devocional. Se está dança é para o Senhor, e exclusivamente pra Ele, Ele estará recebendo.

Cada pessoa recebeu um talento específico para que pudesse Adorar a Deus: umas cantam, outros evangelizam, outros pregam, outros fazem teatro, então porque não DANÇAR?

As pessoas do mundo dançam para o diabo, dançam para alimentar a carne, por puro prazer.

Será que Deus merece menos que o diabo????????

CLARO QUE NÃO!!!!!!!!!! Pois nós servimos aquele que é maior que o diabo, então devemos dançar para adorá-lo.

É por isso que hoje em muitas Igrejas, noivas apaixonadas, dançam em louvor e adoração ao Senhor Jesus, é tempo da Igreja ultrapassar as barreiras da religiosidade e se expressar em adoração apaixonada ao Senhor.

- ADORAR É: meditação e celebração

- ADORAR É: render-se

- ADORAR É: servir

- ADORAR É: reverenciar

- ADORAR É: realizar serviço sacerdotal

OS EFEITOS DA ADORAÇÃO

- SEGURANÇA: A adoração fortalece a confiança íntima (salmo 37:5 / provérbios 3:5,6)

- COMUNHÃO: A adoração no aproxima de Deus e das pessoas (I João 1:3)

- VISÃO TRANSFORMADA: Quando vivemos na presença de Deus temos nossa visão do mundo mudada.

- EVANGELIZAÇÃO: Um culto digno do Senhor faz crescer em nós o desejo de testemunhar de Jesus e anunciar as boas novas.

OBSTÁCULO À ADORAÇÃO

- ATITUDE INCOERENTE: espírito ferido, amargurado, incredulidade, ressentimento, vingança.. impedem uma adoração real.

- FALSO RITUALISMO E TRADICIONALISMO: Ato mecânico

- ROTINA: o culto pode virar uma rotina, tornado um obstáculo ao adorador, por isso o Adorador precisa estar disposto, a pensar, a mudar, a revitalizar.... sempre fazendo coisas novas.

- AMOR AS COISAS DO MUNDO: A vaidade humana, os prazeres, pessoas, lugares, desejos e pensamentos, pois impedem a Adorarmos a Deus em espírito e em verdade.

-PECADO NÃO CONFESSADO: Após a confissão, que teremos livre acesso ao Trono da Graça.

- DESINTERESSE E A INGRATIDÃO: rádio, tv e jornais, cativam cada vez mais as nossas mentes, com isso mostram desinteresse pelos valores eternos, deixando pouco espaço para a Adoração, Louvor, Oração, Comunhão.

- PREGUIÇA E A NEGLIGÊNCIA: sono, o contágio por outros preguiçosos. A pessoa desmotivada deixa alguma coisa ocupar o lugar que pertence ao Espírito.

- REPRESSÃO SATÂNICA: o inimigo tenta desanimar e suprir todo o louvor dirigido a Deus.

09 ELEMENTOS DA ADORAÇÃO:

- PROVA: Deus prova o nosso amor para com Ele.

- OBEDIÊNCIA: Quando Deus nos chama, o "eis-me aqui" deve ser instantâneo.

- RELACIONAMENTO: Devemos gastar tempo com o Senhor.

- OFERTA: Devemos trazer ofertas a Deus, uma oferta de amor.

- PREPARAÇÃO: Devemos estar preparados, sempre....

- SEPARAÇÃO: Devemos nos separar das pessoas ou qualquer coisa que nos impedem de

adorar a Deus.

- DISPOSTA: Devemos estar disposta a sofrer, dar a vida pela causa de Cristo.

- CONFIANÇA: Devemos ter plena confiança em Deus , e nunca duvida Dele.

- AMIZADE: Temos que se amigo de Deus, ter tempo com Deus.

- ESTILO DE VIDA: Louvar, dançar, cantar..... a Deus em todas as situações.

Evelin Estrada

MINISTÉRIO DE DANÇA EXPRESSÃO ÁGAPE

19 de jan de 2011

Dança na Igreja: A adoração é o princípio de tudo


São multidões em busca da salvação e os crentes sendo restaurados, vivendo uma nova vida em Cristo. Um dos instrumentos desse avivamento é exatamente o louvor e a adoração e, assim, como a musica e o canto, a dança vem expressar a sede do coração do ser humano por mais de Deus. Nesse processo de busca por intimidade com o Pai, seu coração nos é revelado em canções e gestos que nos envolvem em Seu amor, cada vez que nos colocamos diante dEle em adoração. Em se tratando de evangelismo o primeiro sentimento e a primeira motivação, é exatamente a adoração, o estar apaixonado por Jesus. Desse sentimento é então gerado uma necessidade de declarar ao mundo esse amor e anunciar as boas novas àqueles que ainda não conhecem a Jesus. Como bem sabemos, a adoração não é um ato separado do corpo de uma pessoa. Ainda que a vontade, a razão, a mente e o emocional de alguém possam ser considerados separadamente, estas são expressões que designam o ser humano por inteiro. Não somos incumbidos de amar a Deus por partes específicas de nossa personalidade, mas com todo o nosso ser. E nesse contexto o critério é o mesmo para a dança, seja no louvor, na adoração, no evangelismo ou em qualquer circunstância que envolva o nome de Jesus. Além disso, gostaria de reiterar que a dança no louvor, na adoração ou no evangelismo não é uma prática corporal por ela mesma, muito menos uma exibição artística ou um enfeite na liturgia ou nos impactos evangelísticos. Nela, a essência de total entrega do adorador se manifesta por uma espontaneidade responsiva, trazendo toda a congregação ou no caso do evangelismo o público, para momentos de júbilo, edificação, salvação, libertação, cura e restauração na presença de Deus. Louvamos a Deus com danças por causa da Sua santidade, da criação e da redenção do ser humano. Nessas circunstâncias, a dança expressa e intensifica o desfrutamento da presença de Deus e seu relacionamento conosco numa celebração a Ele e com Ele. Não queremos ser bailarinas, bailarinos ou interpretes, mas adoradores; não realizamos apresentações, mas ministramos o louvor a Deus, o adoramos ou proclamamos sua Palavra, e em vez de palco para nós existe o púlpito, lugar de santidade e autoridade onde a Palavra é anunciada, no nosso caso, com a linguagem da dança. Nesse contexto, entendendo a dança como linguagem, seu processo criativo é uma possibilidade de arte inscrita no corpo, traduzida em metáforas do pensamento e realidade desse mesmo corpo. Realidade, pois é neste corpo que a dança se estrutura, se molda, conforma, transforma e disciplina quando ele se faz presente. Portanto, um corpo, ao dançar, desenha no tempo e no espaço com seus gestos. São movimentos orquestrados pelo sensível e pelo inteligível do ser em deslocamento e pelas impulsões do movimento, gerando formas e (re)formas, em constantes transformações, tornando a dança uma realidade visível e dinâmica. A exemplo dos pintores, que usam as cores e as linhas para dar forma no plano pictórico, ou dos poetas, que se utilizam palavras para construir seus poemas, o bailarino e o coreógrafo utilizam-se dos gestos corporais para dar forma à dança. Assim, o gesto corporal dançante, parte da experiência humana, vem dialogando e participando da arquitetura da cultura corporal e do viver humano num espaço e num tempo histórico transitando de certa maneira entre as inúmeras oportunidades de movimentos, construindo, no contexto da Igreja, uma dança contemporânea santificada pelo vaso de honra que somos nós no louvor, na adoração e também no evangelismo. Nesse caso, a dança não é um fim em si mesma. É um corpo transfigurando-se em formas que podem ter vários sentidos: fazer e operar; conceber e imaginar; construir e constituir; fundar, criar e preparar com o objetivo de primeiro adorar a Deus e depois, sob a orientação do Espírito Santo e em nome de Jesus, alcançar o coração dos homens através da salvação, da cura, da libertação, edificação e restauração de suas vidas. O Senhor tem nos direcionado em inúmeras ações em sua Igreja com uma visão muito clara sobre a dança e seu significado. Nesse sentido, tenho compartilhado nossas experiências através de artigos, estudos bíblicos e seminários anuais no intuito de divulgar a visão sobre a dança como uma linguagem possível para a Igreja seja no louvor, no evangelismo ou nas inúmeras possibilidades de ação ministerial cristã.

Isabel Coimbra Líder do Mudança Cia de Dança a Artes Cênicas e integrante do Ministério de Louvor Diante do Trono da IBL/BH

21 de dez de 2010

É TEMPO DE DANÇAR

O Senhor veio a mim e disse: Eu quero que você conheça os meus amigos. Eu estava realmente animada pensando que eu iria numa viagem para encontrar Isaías, Jeremias, Pedro, Zacarias, Moisés. Ele me pegou pela mão e nós começamos a voar pelo céu, dando voltas, como num desenho animado. Eu não estava com medo apesar de estarmos muito alto, numa distância grande da Terra e do chão. Enquanto nós voávamos eu podia sentir a brisa no meu rosto. Eu sentia Sua mão segurando a minha, ali nas alturas, amando sentir o vento em minha face, e eu não temia, apenas por ter minha mão segura pela Dele.

De repente eu vi Seu rosto mudar. Ele se voltou diretamente à Terra e nós começamos a voar imediatamente em direção ao chão. Eu olhei para Ele, para Sua face e pude ver em Seus olhos e em Seu rosto uma determinação.

Isaías 50:7b – Por isso pus o meu rosto como um seixo (pederneira, pedra muito dura).
Eu cria que certamente não bateríamos no chão, mas eu olhava Sua face e era tão fixa e determinada que um medo terrível me tomou, mesmo eu estando segura em Suas mãos. Nós voávamos tão rápido num mergulho de cabeça em direção ao chão e Ele não parecia querer desviar.

De repente nós explodimos para dentro do chão. Eu senti a pancada na minha cabeça. Era como assistir a um filme de ação. Eu podia ouvir o som da Terra explodindo ao nosso redor, como o som de um foguete decolando para o espaço. Era ensurdecedor. Nós estávamos viajando por dentro da Terra e o rosto do Senhor nunca virava para a direita ou para a esquerda, mas permanecia fixo a frente.

Eu já podia ver o momento em que explodiríamos para fora do chão. Eu já podia ver a Terra, as rochas, a água, aquele fogo queimando e já podia sentir uma ardência e uma ferida em minha pele. Era como se a minha pele já sentisse tudo o que passava ao redor. Eu podia sentir uma dor horrível neste sonho.

De repente nós viramos para outra direção e explodimos para fora da Terra. Eu olhei para o meu corpo e ele estava todo cortado, minha pele toda rasgada e eu sentia a dor, mas naquele momento não se tratava de mim. Jesus me olhou, bem perto do meu rosto, olho a olho e disse “Eu quero que você conheça os meus amigos”.

Eu chorava porque todo o meu corpo doía. Eu esperava que Ele me notasse, visse minha dor e meus ferimentos, mas nada. Eu olhei ao redor e estávamos num lugar cheio de gente. Eu nunca tinha estado ali, mas eu sabia que era a Índia. Havia muita gente e um cheiro terrível, e eu seguia o Senhor. Ele nem olhava pra mim. Parecia que Ele queria que eu continuasse sentindo aquela dor no meu corpo. Havia crianças pequenas em todo o lugar, jovens belas garotas em prisões, e Ele permanecia ao lado de cada uma delas. Ele apenas ficava ali ao lado delas.

Os desprezados da Terra eram os que o Senhor chamava de amigos. Eu vi crianças no chão, com moscas em cima delas, de repente elas passavam daquela horrível vida e acordavam na eternidade. Ele estava ali, para cada uma, Ele estava ali. Nenhuma delas é esquecida ao Seus olhos, nenhuma.

A tristeza daquilo que eu via, junto com a dor agonizante que eu sentia no meu corpo me faziam chorar e chorar. O Senhor veio em minha direção, eu achei que Ele se compadeceria da minha dor, mas Ele disse “Até que o seu coração esteja rasgado e quebrado como sua carne está agora, você não conhece meus amigos.”

Eu não podia suportar, aquilo tudo era demais para mim. Eu estava ali, vendo crianças morrerem, mães dando seu último suspiro, e jovens garotas sendo vendidas e Ele continuava dizendo “ Até que o seu coração esteja rasgado e quebrado como sua carne está agora, você não conhece meus amigos. Você não me conhece.”

Então, no momento em que eu me derramei em lágrimas, para a minha surpresa Ele olhou em meus olhos e disse num baixo sussurro “É tempo de dançar”. Ele disse aquilo como se fosse sua arma secreta, a dança....

Ele começou a dançar, com seus pés, como um sapateado. Aqueles pés perfeitos que revelam as marcas da morte e da vida dançavam aquele ritmo, uma marcha tribal, os pés do Senhor lançando fora a injustiça. Era a dança, a batida mais poderosa que eu já havia assistido. Assistir o próprio Senhor com as cicatrizes da paixão dançando sobre a injustiça a favor dos Seus amigos. Ele disse de novo “Até que o seu coração esteja rasgado e quebrado como sua carne está agora, você não conhece meus amigos. Você não me conhece.”

Então Ele agarrou minhas mãos novamente e nós voltamos em direção ao centro da Terra, eu sentia uma dor horrível na minha pele cheia de cortes e feridas na minha carne, até aos ossos, e aquele som trovejante a medida que íamos mergulhando por dentro da Terra. De repente nós estávamos numa clínica médica.

Meu primeiro pensamento foi em relação à mim e a tamanha dor que eu sentia. Era como se não houvesse mais pele sobre os meus ossos, como se tudo tivesse sido rasgado e arrancado fora.

Ele repetia “ Eu quero que você conheça meus amigos”.
Eu olhei ao redor e vi uma lata de lixo repleta de bebês. Eu pude ver cabeças, mãos, pequeninos pés e bebês inteiros, lata de lixo atrás de lata de lixo. Alguns ainda estavam vivos e em movimento, suas peles estavam queimadas, alguns tinham suas cabeças esmagadas, alguns estavam inteiros mas com seus olhos totalmente arregalados.
Eu estava em choque. O Senhor me olhou novamente nos olhos e disse “Até que o seu coração esteja rasgado e quebrado como sua carne está agora, você não conhece meus amigos. Esses são os meus amigos”.

Enquanto eu estava ali outro bebê foi jogado no lixo pela perna. Eu pude perceber os pensamentos do Senhor.

“Ah desprezados e esquecidos pela sociedade, vocês não são esquecidos! Vocês não são desprezados! Vocês não estão sozinhos!”

Eles não tinham voz naquela sala da Terra, mas eles tinham uma voz que chegava aos ouvidos do Pai, Deus Todo Poderoso.

Suas cicatrizes nunca se apagam nos corredores da eternidade. Eles clamam dia e noite, noite e dia e têm os ouvidos do céu. Eles tem a atenção e o ouvido do Deus Todo Poderoso.

Eu comecei a gritar: “Você não faz tudo isso à toa Lou. Você não faz tudo isso à toa Lou Engle! Você não faz tudo isso à toa Lou!

Eu pude ver através do hall da eternidade que o céu conhecia o precioso nome de Lou Engle. Lou conhece os amigos do Senhor. Eu podia ouvir o constante choro dos bebês pelos corredores do céu, os silenciosos da Terra, os esquecidos pela Terra, mas eles tinham o ouvido do Pai e eles estão dia e noite, noite e dia clamando por justiça sobre aqueles que tiram suas vidas. Mas... na eternidade eles são ouvidos!!! Dia e noite, noite e dia... clamando por justiça sobre os “fortes” da Terra... e eles tem o ouvido do Papai!

E de novo, o Senhor olhou fixamente em meus olhos e disse “Até que o seu coração esteja rasgado e quebrado como sua carne está agora, você não conhece meus amigos. Você não me conhece.”

Eu fiquei ali soluçando e Ele olhou pra mim de novo perto dos meus olhos e disse naquele baixo sussurro “È tempo de dançar.”

Ele começou aquela “Nova dança” com aqueles pés perfeitos que pisaram os altos lugares da Terra, agora eles estavam dançando e marchando, bem no meio da clínica de aborto. Era tão poderoso. Era sempre na hora em que eu estava mais cansada e sem forças que Ele dizia ”É tempo de dançar. É tempo de guerrear, dançar é guerrear”. Ele dançava com Seu novo ritmo aquela batida com Seus pés. Não era uma simples coreografia, eram os pés da própria Justiça marchando sobre a injustiça, e Ele disse “Apenas espere até que a Terra me acompanhe nesta dança, alguns já me acompanharam e eu estou estendendo o convite, mas você só pode dançar quando seu coração já estiver rasgado e quebrantado.”

Então Ele veio novamente a mim e disse “Eu quero que você conheça alguns dos meus amigos”. E de novo fomos para dentro da Terra, eu quase não aguentava mais. Meu coração estava tão doído. Minha pele estava ferida. Eu olhei para baixo e parecia que uma bomba havia explodido ali próximo a mim. Estávamos descendo em uma rua bem lotada. Ele ia na minha frente e eu com tanta dor, queria que Ele fosse mais devagar, mas aquilo não se tratava de mim. Ele queria que eu sentisse a dor, para que meu coração conhecesse a dor, a abraçasse e a tomasse como minha.

Ele me esperou para que eu andasse ao seu lado. Esse lugar eu sabia, era Israel. Algumas vezes eu o veria inclinar sua cabeça para alguém como que dizendo “olá” ou “shalom”. Ele não falava nada, somente inclinava sua cabeça. Ele capturava seus olhares e depois voltava sua cabeça ao normal. Eu olhava para a pessoa à qual Ele acenou e via seus olhos incharem.

Eu podia ver uma luz se acendendo dentro delas. Eu podia ver apenas num relance Jesus abrindo os olhos dos seus corações e eles podiam vê-lo literalmente como Jesus o Messias. Eu podia ver literalmente dentro delas, conforme seguíamos nosso caminho em Jerusalém, que totalmente de repente os olhos dos seus corações eram abertos e uma pequena chama começava a queimar dentro delas.

Algumas das pessoas que Ele acenava eu sabia que eram grandes autoridades, líderes da comunidade judaíca. Rabinos. Eu podia ver literalmente em um relance o Senhor abrindo seus olhos, eu podia ver o Senhor aparecendo. Ele estava se revelando para alguns dos principais rabinos daquela Terra e apenas num relance, num pequeno aceno, aquela chama de revelação começava a queimar no profundo do seu interior e num segundo os olhos dos seus corações eram abertos.

Salmo 102:16 “Porque o Senhor edificou a Sião, apareceu na Sua Glória”
Nós seguimos estes rabinos até seus lares e eles se fecharam em seus quartos. Eu os via cair sobre seus joelhos e clamar “Isto muda tudo. Isto muda tudo!” Eu podia ver o Senhor vindo e soprando sobre aquela pequena semente de revelação no seu interior e pouco a pouco começando a queimar como um crescente fogo. Eu pude ver aquela pequena chama de revelação se tornar como uma “fogueira corroendo seus ossos”.

Eu vi que este fogo continuava a queimar até o dia determinado no qual estes rabinos não conseguirão mais segurar e irão bradar nos altos montes “Yeshua é o Messias!”

Eu me lembrei de como oramos por isso em nossas pequenas reuniões de oração na cidade do Kansas, que Jesus apareceria, viria em Sua glória. Ele virá, Ele realmente virá. Eu olhei e esta era a primeira vez que eu via a face de Jesus e Ele tinha lágrimas escorrendo em Sua face e pude ouvi-lo dizendo: “Ah Jerusalém, ah Jerusalém!”

Eu podia sentir em meu coração a paixão e o amor que Ele tem por Israel. Eu pude ver o coração de um apaixonado quando não tem o retorno de sua amada. E Ele olhou para mim de novo e disse: “Até que o seu coração esteja rasgado e quebrado como sua carne está agora, você não conhece meus amigos. Você não me conhece.”

Eu pude sentir no profundo do meu ser o profundo amor que Ele tem por Israel. Como Jacó amou Raquel, como Elkanah amou Hannah, porém Seu amor estende-se muito além do amor carnal. Eu continuava chorando e o sal das minhas lágrimas fez minha pele arder, eu não conseguia parar de chorar e quando eu achei que não agüentaria mais, quando já me via desabando em um montão de lágrimas no chão, Ele disse naquele baixo sussurro para mim: “É tempo de dançar.”

De repente nós estávamos bem em frente ao Muro das Lamentações e Ele começou de novo aquela dança, batendo os pés no chão, aquele sapateado tribal, aquela dança de pés perfeitos, como eu nunca tinha visto. Era sempre no momento em que eu me sentia mais sem forças, e cansada que Ele dizia “É tempo de dançar”. Eu sentia a presença do poder, o poder daquela dança sobre a injustiça. Ah que bela imagem, ver o Filho de Deus e Seus pés perfeitos marchando ali e dançando sobre a injustiça! Jesus continuava dizendo “É tempo de dançar. É tempo de dançar”

Há uma nova dança surgindo, que brotará da nossa adoração e do nosso coração pelos pobres da Terra, pelos esquecidos, mas que o Senhor chama de amigos e somente quando nosso coração estiver totalmente quebrantado é que será o tempo de dançar.

Ah que visão tremenda, quando o Rei dos reis, a Justiça da Terra e Seus passos perfeitos que revelam as marcas da paixão começam a dançar, e pisar sobre a injustiça. É uma dança literal. É uma marcha real.

É tempo de dançar. Eu percebia isso no meu sonho enquanto andávamos pelas ruas, subindo até o muro aonde Ele começou Sua dança. Eu sabia que Ele estava se revelando para muitos, pessoas chaves na comunidade judaíca, rabinos de alto escalão na comunidade, exatamente no meio daquela dança.

Eu vi seus olhos incharem. Eu pude ver dentro deles, seus corações batendo fortemente. Eu pude ver o Senhor colocando dentro deles um entendimento de que Ele e somente Ele é o Messias. Para um momento como esse, o dia está chegando, em que os determinados rabinos no tempo do Senhor, terão seus corações movidos e agitados e explodirão por dentro, até correrem aos altos lugares de Jerusalém e gritarem para toda Jerusalém: “Yeshua é o Messias. Bendito é o que vem em nome do Senhor!”
Neste momento, eles estão escondendo isso e se perguntando se isso realmente aconteceu, se foi real.

Já foi estabelecido para um determinado momento nos dias que virão. Ele aparecerá e abrirá os olhos dos corações dos homens e colocará seus ossos em chamas. Eu pude ver estes rabinos explodindo com a Palavra do Senhor, proclamando sua vinda. Está acontecendo. Foi determinado para um tempo específico. Está acontecendo hoje.

Jeremias 20:9 “Então disse eu: Não me lembrarei dele, e não falarei mais no seu nome; mas isso foi no meu coração como fogo ardente, encerrado nos meus ossos; e estou fatigado de sofrer, e não posso mais.”

E ainda por fim Ele disse: “Até que o seu coração esteja rasgado e quebrado como sua carne está agora, você não conhece meus amigos.”



É tempo de dançar!



13 de dez de 2010

O QUE É DANÇA PROFÉTICA?


Graça e paz amados levitas da dança, saudades de postar para vocês!

Graças a Deus os estudos que estão aqui têm alimentado muitos levitas.

Gostaria de passar para vocês hoje um pouco que aprendi sobre dança profética ao longo desses 11 anos que dança para Deus, confesso que ainda não é tudo, ainda há muito para ser aprendido. Com um coração disposto a aprender conseguiremos chegar longe.

Definição: Dança profética é toda e qualquer dança que tenha um cunho espiritual, ou seja, tudo que tenha um propósito estabelecido por Deus. Logo, se uma dança não tem esse propósito ela se torna nula e vazia. Dançar profeticamente não está ligado a dançar com roupas de nações ou com bandeiras, dançar lento ou rápido, espontâneo ou coreografado, ballet ou street dance. A dança profética se manifesta nas mais diversas modalidades de dança, basta somente, TER PROPÓSITO.

  1. A Dança Profética acontece por revelação – Em todas as passagens bíblicas vemos Deus o ser supremo revelando a sua grandeza e majestade para com seus filhos, se não temos a capacidade de ler essa tal revelação tão pouco receberemos revelações especiais. A dança profética dança a palavra de Deus revelada pela Bíblia Sagrada. Em Mateus 6.6 vemos que é no lugar secreto que as revelações acontecem, por isso, não vá esperando ter revelação sem ter um lugar secreto para falar com Deus. “Mas tu, quando orares, entra no teu aposento e, fechando a tua porta, ora a teu Pai que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará”.

  1. Não é uma modalidade de dança – Ao contrário do que muitos pensam, dança profética não é uma coisa a ser aprendida em escolas de dança, principalmente em escolas seculares que só visam lucrar em cima de cristãos mal informados. Você tem seu estilo de dança, é como se fosse seu DNA, não existe outra pessoa que dance igual a você, o que existe são pessoas dançando com mesmo propósito. Jesus nos ensinou o pai nosso, porém, o diálogo (oração) com nosso Pai deve ser aperfeiçoado e exercitado a cada dia, não é uma coisa decorada, acontecimentos da vida não são decorados.

  1. Uma arma para evangelização – Ao nos depararmos com equipes de dança o que vemos são pessoas fazendo de seus ministérios como animais de estimação, uma coisa domesticada, equipes que só se apresentam para crentes, onde está a graça? E quando falo graça é graça de Deus. O que temos em nossas mãos é uma arma para ir às ruas e atrair a atenção das pessoas para Deus. Como o faremos se ficamos dentro das quatro paredes do templo? A dança é uma rede para atrair muitos jovens. Uma arte poderosa que associada à palavra de Deus surte um grade e positivo efeito.

  1. É um aprendizado diário e um desenvolvimento constante – podemos dividir as pessoas que dançam em dois grupos, as que sabem e as que nada sabem. Qual é o seu grupo? Como você espera receber algo grande de Deus se você tem uma mente pequena e limitada sobre si mesmo e sobre seu ministério? Deus honra somente os que têm um coração nobre, aquele que se esforça para fazer o melhor mesmo muitas vezes não sendo o melhor aos olhos de muitos. O que temos que aprender é que para Deus não se faz nada de qualquer maneira, de qualquer maneira você pode fazer pro seu cachorro que ele nem vai reclamar, mas, ao Senhor dos Senhores, faça com excelência EXAGERADA.